quinta-feira, 21 de junho de 2018

40ª Edição do Poetizando e Encantando


Olho o céu salpicado de estrelinhas brilhantes
Um véu negro bordado com fios de prata
Um brilho estonteante fazendo
Contraste na abóbada cor de ébano

E neste cenário idílico que convida à poesia
Minha alma se recolhe à  nostalgia
Um dor lancinante corta o peito
O coração se fecha não querendo
Permitir a entrada do sofrimento

As lágrimas rolam com suavidade
sem que eu consiga retê-las
E uma tristeza imensa
vai chegando de mansinho
Invadindo sem piedade
o corpo e a alma
Uma saudade gigantesca
dos tempos de outrora

Um tempo de felicidade, de riso contagiante
Um tempo em que todos os sentimentos
Convergiam para o amor.

Você foi embora sem olhar para trás
Deixou-me só com o meu amor
E um silêncio torturante
Vem me fazer companhia.

Estou só! Completamente só
Na mais completa melancolia
O que me resta amor?
Fugir da monotonia
Mandar embora a nostalgia
Compor uma nova poesia
E abrir o coração para um novo amor.

Gracita

Há dias em que nos sentimos perdidos e confusos
São os revezes da vida que nos faz oscilar
E agora mais centrada e com menos oscilações
deixo a minha participação em mais uma edição
do Poetizando e Encantando