segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

Bordando poesia

Quero bordar no tecido da vida
aromas e sabores perfumados de poesia
com linhas multicores vou tecer
pontos etéreos adornados de magia

Vou bordar palavras furta cor
que nos envolvam com magia e cor
desenhar arabescos dourados
com filigranas de emoção
reiteradas na magia da inspiração

Quero bordar em tons escuros
o fogo incandescente da paixão
Em cores fortes e traços largos
os momentos de dor e desilusão

Vou bordar meus sentimentos
na infinitude da ilusão
com talento e criatividade
vou bordar a minha inspiração

No emaranhado das estrofes
vou descrever quadros precisos
dos meus sentires distintos
com o fio delicado e bem traçado
vou bordando a minha criação

Cada ponto guardará um segredo
acondicionado nas dobras do coração
para ficar registradas todas
as minhas finitudes e vicissitudes
na caixinha das minha inquietações
Gracita